Investidor Conservador

B – Se você respondeu sim para a maioria das alternativas B, a tendência é de que você tenha um perfil conservador.

Neste perfil, estão os investidores que preferem não correr riscos e que priorizam a liquidez.

Você pode definir planos para o uso de seus recursos, como comprar sua casa própria, ou apenas escolher esse tipo de investimento por ter uma remuneração confortável, mas sem grandes riscos ou regras complexas de serem compreendidas e acompanhadas.

O perfil conservador é aquele que, ao investir, coloca a segurança em primeiro lugar. Prefere colocar seu capital em um investimento que ele saiba quanto irá render no fim da aplicação, como os produtos de Renda Fixa (RDC, CDB, Tesouro Direto, Fundos de Renda Fixa, LCI, LCA, entre outros).

Ou seja, preferem uma rentabilidade a médio e longo prazo com proteção ao capital investido pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) ao invés dos resultados de curto prazo, que oferecem mais riscos nas operações.

O RDC (Recibo de Depósito Cooperativo), é uma aplicação de renda fixa, com rentabilidade e liquidez diárias (podendo ser pré ou pós-fixado), além de contar com a garantia do FGCoop.

O RDC é emitido por cooperativas de crédito. Outra vantagem do RDC, é que o investidor também pode aumentar sua participação nas sobras distribuídas pela cooperativa, pois, como esse tipo de instituição não objetiva lucro, quando há sobras, elas são repartidas entre os cooperados conforme a participação de cada um.

 

As aplicações de renda fixa podem ser consideradas menos arriscadas, por não estarem tão sujeitas às oscilações do mercado e devido a suas garantias de rentabilidade, desta forma, são mais adequadas a quem possui um perfil de investimento mais conservador.

A partir dos rendimentos, você estará ainda mais motivado a manter um bom planejamento financeiro e a separar uma quantia para aplicar.