O mês de janeiro é a época perfeita para estabelecer metas e traçar um plano de ação para o  restante do ano. Que tal aproveitar esse período e organizar as finanças de 2021? Com um pouco de foco e disciplina, você pode atingir resultados bastante promissores!

Passo a passo para organizar as finanças em 2021

Hoje separamos dicas que vão lhe ajudar nessa tarefa. Acompanhe o passo a passo para ver onde economizar, como juntar dinheiro e como ampliar seu patrimônio.

1. Pague suas dívidas

É difícil elaborar novos planos quando ainda temos pendências antigas a resolver. No caso do planejamento financeiro, as parcelas e os juros em aberto são o que atrapalha qualquer previsão de ganhos.

Portanto, comece o ano quitando todos os débitos possíveis. Dê preferência às prestações mais altas, pois assim você obtém folga no orçamento.

O ideal seria realizar os próximos pagamentos à vista. Esse cuidado permite um controle melhor das próprias finanças. Caso você precise parcelar uma compra futura, não se esqueça de pagar em dia, senão o fantasma da inadimplência volta a lhe assombrar. 

2. Aproveite os descontos e as promoções

Existem algumas despesas que incidem justamente nos primeiros meses do ano, como o IPTU e o IPVA. Em geral, os órgãos públicos beneficiam bons pagadores. Dá até para conseguir desconto se você quitar os impostos à vista.

Outra dica é ficar de olho nas promoções. Isso porque muitas lojas e supermercados ainda estão liquidando o estoque do Natal.

Faça uma pesquisa de preços para encontrar as ofertas econômicas. Você conseguirá engordar o carrinho sem esvaziar demais o bolso.

A! Só tome cuidado com os supérfluos, ok? Adquira apenas o necessário.

3. Controle o orçamento familiar

O próximo passo para organizar as finanças de 2021 é a boa e velha planilha. De um lado, você assinala as fontes de renda da casa (as receitas, ou entradas). De outro, anota todos os gastos do dia a dia (as despesas, ou saídas).

O desafio para permanecer no azul consiste em manter o saldo positivo. Em outras palavras, o dinheiro das entradas deve ser maior que o dinheiro das saídas.

A planilha financeira atua como um instrumento para observar esse “fluxo de caixa”. Anotando tudinho, você entende melhor quanto a família ganha, como gasta e onde pode cortar despesas.

4. Renegocie contratos

Uma boa estratégia para economizar pode ser a aquisição de serviços mais baratos de telefonia, internet e TV por assinatura. Já pensou em entrar em contato com a operadora para renegociar o valor das mensalidades?

Essas companhias vivem oferecendo novos pacotes com preços bem em conta. Numa dessas, vale a pena até mesmo realizar a portabilidade para outra empresa.

Aqui é necessário respeitar o período de carência. Lembre-se que contratos recentes preveem um prazo mínimo para você fazer a migração sem multa.

Dica extra: a lógica da renegociação também funciona para dívidas altas do cartão de crédito.

5. Economize

Onde não há espaço para renegociar, resta apenas economizar. Você e sua família terão que fazer um esforço para diminuir o desperdício.

A mudança começa com atitudes simples: feche a torneira ao lavar a louça ou escovar os dentes, tome banhos mais curtos e desligue os aparelhos eletrônicos quando não estiverem em uso. Esses hábitos são suficientes para causar um impacto positivo nas contas de água e energia elétrica.

Ainda, procure eliminar gastos extras. Sabe a tal TV por assinatura do item anterior? Se ninguém assiste a todos aqueles canais, não tem por que continuar assinando o serviço.

6. Faça um planejamento financeiro

Até agora você viu como se livrar das dívidas, reduzir despesas e permanecer no azul. Falta organizar as finanças para gerar rendimentos que irão ampliar seu patrimônio.

Nesse ponto, convém traçar um planejamento financeiro. Estabeleça metas: “quero comprar um carro” ou “quero reformar minha casa”, por exemplo. Em seguida, pesquise orçamentos para saber quanto dinheiro será injetado na empreitada.

A última etapa se resume a guardar uma quantia mensal na poupança ou em outra aplicação financeira. Mantendo a regularidade desses aportes, você terá uma noção precisa de quanto tempo levará até obter as somas necessárias para atingir a meta.

7. Monte uma reserva de emergência

Cabe ressaltar que planejamento dá certo, mas imprevistos acontecem. Às vezes surgem gastos inesperados: o ar-condicionado pifa em pleno verão, estoura um cano no banheiro… Em ambos os casos, o conserto pode extrapolar orçamentos apertados.

É por isso que sua primeira poupança deve ser uma reserva de emergência. Guarde o suficiente para não passar sufoco.

O “número de ouro” varia conforme as demandas de cada indivíduo, mas algo equivalente a seis meses de seu salário já significa um baita alívio para as contas pessoais. Após acumular essa quantia, você poderá diversificar a carteira e se arriscar em fundos mais rentáveis.

8. Invista

Quem conseguiu formar uma poupança gorda pode aprimorar a estratégia financeira. Parte do dinheiro que sobra continua destinada a essa reserva, enquanto outra parte será alocada em novas aplicações.

A escolha dos ativos dependerá de seu perfil. Um sujeito conservador prefere títulos de renda fixa, que são seguros, embora rendam juros baixos. Os investidores moderados e agressivos, por sua vez, se arriscam em papéis capazes de trazer rentabilidade mais alta. No entanto, eles ficam à mercê das flutuações do mercado.

Bateu a dúvida? Então estude sobre investimentos financeiros para encontrar as oportunidades mais adequadas ao seu estilo de vida.

9. Freie os impulsos

Para finalizar, vai uma dica que serve tanto em 2021 como nos próximos anos: seja racional. Decisões de compra trazem consequências imediatas para o orçamento familiar. Por isso, cada escolha deve ser pensada.

Não se deixe levar por uma promoção relâmpago. Por trás de um preço camarada, pode haver um produto de baixa qualidade, ou que não vai fazer falta no seu cotidiano.

Antes de adquirir qualquer coisa, pergunte-se: por que quero efetuar essa compra? Eu preciso desse artigo? Tenho recursos para pagar?

Freando os impulsos consumistas, você acumulará mais dinheiro para investir no que realmente importa. Pronto: o caminho para a prosperidade está aberto!

Esperamos que o conteúdo de hoje ajude você a organizar as finanças neste início de ano. Precisando de mais informações, continue a acompanhar o nosso portal da Educação Financeira. Traremos novidades em breve. Até lá!


Agora que você conhece as dicas para organizar as finanças em 2021, teste seu conhecimento com o desafio que preparamos abaixo: